Paulo, Escritor de Cartas

13.80

O seu mundo, as suas opções, as suas técnicas

Como é que Paulo utilizou os seus secretários? Será que ele confiava nos seus co-autores? A formação retórica que recebeu afetou a forma como organizou os seus temas? Este livro invulgar confronta-se com estas questões, baseando-se em múltiplas citações de autores clássicos gregos e romanos. Uma pesquisa sinótica dos endereços e das conclusões das cartas revela a que ponto Paulo usava e adaptava as convenções epistolares do seu tempo. Simultaneamente, chama a atenção para a disposição que animava Paulo, no momento em que escrevia, e para o seu relacionamento com os endereçados. O efeito produzido é humanizar as cartas paulinas e tornar menos intimidante a complexidade da sua teologia.

«Há que saudar vivamente o indispensável contributo desta obra de Murphy-O’Connor. Para medir-se com Paulo de Tarso não basta apenas aproximar o ouvido do seu púlpito. É necessário conhecer os cantos da sua oficina literária» (José Tolentino Mendonça, in Prefácio).

Peso 260 g
Dimensões (C x L x A) 14 × 21 cm
Ano

2010

Edição

1

Encadernação

Capa Mole

ISBN

978-989-673-003-1

Páginas

192

Quantidade Miníma

1